Sistemas biológicos

A Osteopatia Informativa surgiu para preencher uma lacuna existente nos princípios filosóficos da Osteopatia criada por Still, onde ele dizia que a doença é fruto do meio ambiente, fator nutricional e psíquico, porém não sabíamos como atuar nos pacientes que necessitavam de um suporte para as doenças com características emocionais. Passamos a compreender a partir dos ensinamentos do Dr. Hamer, que a doença também faz parte de um programa biológico de sobrevivência das espécies, onde o que sentimos que chamamos de percepção, pode ser a causa de doenças.

A partir desse momento o terapeuta consegue identificar e trabalhar os sentimentos dos pacientes, os conduzindo a reparação de seus conflitos, modificando a sua percepção e também ajudando por meio de técnicas aprendidas nos outros 04 níveis da formação em Osteopatia (no IDOT) O corpo a se auto curar e passar pelos seus obstáculos, sejam esses físicos ou emocionais.

O terapeuta com formação em Osteopatia Informativa aprenderá a identificar e diferenciar a doença baseada em dois modelos. A que surge a partir de desequilíbrios mecânicos do corpo (modelo mecânico), já estudado nos outros 04 níveis (Estrutural, Postural, Visceral e Craniana), e as provenientes de um estado de hiperestresse (conflito), que seria o modelo biológico de sobrevivência não consciente (modelo biológico). Dessa forma, o profissional saberá criar a melhor estratégia de tratamento a partir destes dois modelos.

Dentre as técnicas de tratamento temos:

A informação Verbal – que será dada quando o paciente está passando por um conflito, na fase ativa do problema, com o intuito de ajudá-lo a tomar consciência de seu problema e conduzi-lo a uma mudança da percepção, trocando um sentimento “ruim”, causador de doença, por um sentimento melhor, que traga ao paciente o relaxamento e a autocura.

Na fase pós-conflito (PCL) – na qual o conflito encontra-se resolvido, sendo está fase onde aparecerão os grandes sintomas, por exemplo, a inflamação. O terapeuta poderá usar todas as técnicas que aprendeu ao longo da formação em Osteopatia, e utilizá-las para ajudar o paciente e o corpo a passarem pelos sintomas de uma forma mais amena de modo a encontrar a cura.

O objetivo das técnicas são ajudar o paciente a mudar a sua percepção, e também ajudá-lo a passar por seus sintomas encontrando novamente a normotonia e a homeostase.

A Osteopatia Informativa está indicada para todas as doenças existentes, desde que tenham sido causadas por um conflito, que pode ser definido como algo brutal e inesperado e irá desencadear doenças como forma de manter a sobrevivência da espécie.