Sistema tônico-postural e vias de comunicação

Entre todos os animais, incluindo os mamíferos, o homem adulto é o único totalmente bípede. Essa característica, que alguns consideram um privilégio, acarreta um determinado número de particularidades.


No início do século passado, Charles Bell, já apresentava o problema que a Posturologia estuda atualmente: como um homem consegue manter a postura em pé contra o vento que sopra sobre ele? É evidente que ele possui um sistema de informações que permite analisar esses estímulos e produzir uma ação muscular (Sistema Tônico Postural) para se manter em equilíbrio.


Segundo Pierre- Marie Gagey e Bernard Weber, a posição ortostática, conquista da evolução filogenética do homem, criou-lhe um problema de estabilidade testemunhado pelos movimentos incessantes do centro de gravidade de seu corpo. Mesmo aparentemente imóvel, o homem ajusta sua postura permanentemente: ele “oscila".


O controle- muito sutil- dessa postura ortostática é fruto de numerosos fatores (biomecânicos, sensoriais, neuropsicológicos) integrados em tempo real num conjunto denominado de sistema postural.


O sistema de informações denominado de entradas sensoriais foi descoberto no século XIX, cuja função permite a manutenção da posição ereta do homem contra a ação da gravidade e outras forças externas da natureza.


A Osteopatia Postural é a ciência do equilíbrio que estuda o Sistema Tônico Postural através de informações dos sistemas integradores como: os pés, os olhos, ouvido interno, a propriocepção, viscerocepção (Villeneuve). Ela também ensina a prestarem atenção nos distúrbios de oclusão, às cicatrizes nociceptivas que modificam o sistema postural.

 

Os receptores sensoriais quando desreguladas, geram perturbações estáticas, ou seja, desequilíbrios posturais, provocando forças anormais contrárias em diferentes tecidos do nosso corpo, sendo muitas vezes a causa de inúmeras patologias como: hérnias discais, artroses, dores na coluna vertebral (cervicais, dorsais, lombares e sacrais), nevralgias, cervicobraquialgia, ciáticas; dores com componentes estáticos (quadril, joelhos, pés); deformações na coluna (cifose, escoliose, hiperlordose); patologias esportivas (câimbras, dores musculares, tendinites); além de cefaléias, vertigens, problemas de aprendizagem...


Portanto, a Osteopatia Postural tem como objetivo avaliar os desequilíbrios posturais, analisar as diferentes entradas sensoriais e corrigi-las afim de reengramar um novo esquema corporal de uma forma equilibrada.